dezembro 02, 2010

Sobrevivente



 Emocionante.
Foi um ano que passara por altos e baixos. Especificamente para aquela menina, começara nos altos e terminara da pior forma possível. Era fim de ano, e a única coisa que ela podia pensar era que ela era um tremendo fracasso.
Fracasso.
A única coisa que aquela menina conseguia fazer era escrever. Já não podia mais desenhar, abandonara o habito e não conseguia dizer uma palavra sequer sem que lembrasse seu fracasso.
Doía-lhe falar, então escrevia.
Debruçava-se sobre a janela e chorava, como uma criança.
Fracasso. Fracassada.
Evitava falar de sentimentos, evitava falar de emoções, porque temia que as fizesse soar piegas. Tudo o que sentia era piegas demais para ela e somente ela. Bastava.
Chega de “ridiculamente emocional” por hoje, ela disse a si mesma.
E assim ficou, calada, durante um bom tempo, passando noites em claro e chegando ao ponto de doer-lhe o peito e os olhos de tanto chorar e amargurar-se diante de um feito que fora e não fora sua culpa.
Fracassada. Culpada.
Fora um ano emocionante. Emocionante em todos os sentidos, ângulos e polaridades existentes.
Era ano novo. Devia ser.
Fracasso.
Não, vida nova.
E numa noite escura de verão, a garota olhou aos céus com lágrimas nos olhos fitando a chuva de cores dos fogos de artifício. Ela pediu (pediu não, implorou), por favor, se existe algum Deus, faça com que o ano que se aproxime seja o melhor ano de minha vida. Faça com que eu não fracasse, e que não haja mais dor aqui dentro.
Com a mão sobre o coração, sentou sobre os joelhos e chorou.
Chorou de tristeza, chorou de amargura, chorou de raiva.
E como que ouvindo suas preces, foi o que aconteceu.
Chegaram mudanças, consequências, mas acima de tudo, felicidade. Ela descobriu quais foram as pessoas que sempre a amaram e conheceu pessoas que passariam a amá-la da mesma forma. Descobriu que tudo aquilo que a fizera chorar seriam motivos para lágrimas de alegria, e que um abraço forte seria a mensagem de que ela nunca tinha fracassado, mas lágrimas teriam de ser derramadas para que a mesma percebesse isso.
Descobriu que arriscar é importante, e que quando se ama alguém de verdade, não há riscos que não rendam bons resultados.
Descobriu que se você volta com cicatrizes, isso significa algo bom, pois mortos não possuem cicatrizes como as cicatrizes de uma sobrevivente.
E percebeu que mais um ano se fora, com a mesma velocidade com que passara o anterior.
Suas preces foram atendidas.
No início do ano que se sucedia, ela não pediria um ano melhor que aquele.
Ela sentou-se sobre os joelhos e chorou.
E agradeceu, seja lá quem ou o que a tenha ouvido.

2009-2010 foi a passagem de ano mais emocionante da minha vida, não tenho dúvidas que essa nova passagem de 2010-2011 será ainda mais.
Estou escrevendo esse texto para agradecer. Minhas preces foram atendidas.
Porque eu realmente não fracassei. Eu sobrevivi.


O que você deseja para o ano que vem?

Super beijinhos,
Hoho'n

2 comentários:

  1. O único ser que pode nos trazer a verdadeira felicidade é o nosso Criador, Deus!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Que texto mais emocionante. Uau, me senti totalmente na situação, adoro quando isso acontece.
    bjss

    ResponderExcluir