agosto 27, 2010

Só para constar

O texto que escrevi ficou "grandinho". Mas eu gostei, é importante para mim e estou postando.
Está transbordando sentimentos, então pode ser que não fique tão bom. Pode ser também que você não entenda nada. Mas fatos são fatos, e não se dá para compreender fatos se eles forem contados pela metade.
A não ser que você os tenha vivido.


E tudo o que restou naquela época foi meu coração partido. Eu via você, de longe. Eu o desejava silenciosamente e sofria, pois eu tinha certeza que jamais sentiria o sabor dos seus lábios nem o calor do seu amor. Então só me restava absorver o máximo de seu abraço. Eu era sua amiga, nós éramos amigos, e assim havia de ser.
Assim havia de ser.
Só que não.
E Deus sabe tamanha a minha felicidade quando provei seus lábios pela primeira vez. Eu o tinha em meus braços e você com certeza teve a mim nos seus. Apesar de tudo isso, eu ainda não sentia o calor. Eu não o tinha por inteiro. Você não me amava.
É triste quando alguém está com você por pena, ou tentando sentir algo que não existe. Eu entendi a sua preocupação, mas eu não aceitei depois que me dei por conta do que estava acontecendo. Eu não queria sua compaixão, eu queria você. Em seguida, você quebrou meu coração, pela primeira vez. A primeira vez de muitas outras.
Eu sempre terminava chorando, cansada, sentindo-me fracassada. E eu nunca soube realmente o que você sentia. O que você sentiu e o que você sente. Eu ainda não sei.
Prometi a mim mesma que jamais choraria por você novamente.
E você não me deu mais motivos para chorar. Pelo contrário.
Eu fui embora. E não voltei. Mas quando eu estava chorando durante três meses seguidos por motivos totalmente diferentes pelo qual chorei por você, era você que estava lá, tentando me fazer sorrir. Do seu jeito bobo, mas fez. Quando eu tomei distância de todos aqueles que viveram comigo para se aventurar num novo mundo, você foi o primeiro a pegar na minha mão e dizer tudo bem. Do seu jeito, mas fez. Foi você que me abraçou fervorosamente e disse o quanto sentia saudade. Foi você que sorriu pra mim, foi você me fez esquecer as minhas preocupações com músicas tocadas por você no violão. Foi você o que não me julgou e esteve ao meu lado, mesmo eu ficando mais distante.
Mesmo eu indo embora.
E depois de tanto tempo e depois de tudo o que passamos você me ligava para saber o que fazer com a garota que você estava amando.
Você estava amando. Eu nunca me senti tão feliz.
Depois de tantos anos, de idas e voltas e semanas sem nem falar bom dia um para o outro convivendo no mesmo ambiente, depois de tudo o que passamos juntos e separados, eu consigo olhar para o que fomos e sorrir. Lembrar dos dias que passei chorando. Lembrar dos dias que ficara somente te observando, estudando o teu jeito, as tuas manias. Eu abro o mesmo sorriso que abri quando senti o sabor do teu beijo pela primeira vez.
Eu consigo viver cada lembrança sem ao menos sentir falta. Consigo lembrar como eu tinha que ficar nas pontas dos pés para te alcançar – você sempre foi muito alto – e como você me abraçava. Lembro de como você pegou na minha mão, lembro como você colocava a mão em minha nuca quando estávamos juntos.
E nem eu sei o quanto isso foi importante para mim. Quando eu disse noutra carta “eu aprendi muito com você” não foi à toa. Foi real. Nessas pequenas grandes coisas que me tornei forte. E você ficou ali do meu lado.
Eu não o amo como eu o amava antes de tudo acontecer. Eu não desejo mais seus lábios.
Mas eu o amo bem mais. E depois de tudo isso eu finalmente senti o calor. Ter sua presença, pelo menos indiretamente não era tudo o que eu queria. Era tudo o que eu precisava.
Nem eu entendo essa necessidade de simplesmente saber que você me considera. Mesmo que eu possa estar errada em relação a essa opinião.
Acho que nunca tive tanto orgulho de olhar para você e falar “você é meu amigo, meu grande amigo” e sem ter medo de olhar para a droga do passado. Porque depois das lágrimas vieram sorrisos, abraços, sentimentos. Eu descobri que você sente, e não existiu ainda, algo no mundo que pôde me deixar mais feliz.
Nem o primeiro beijo.
Eu nunca te disse o que senti naqueles anos, nem o que sentia realmente agora. Apesar do sentimento do passado não existir mais, eles existiram algum dia. E eu queria muito que você soubesse disso.
Eu te amei, e eu te amo.De um jeito amigo, de um jeito diferente, de um jeito meu, de um jeito nosso.
Mas amo. E ponto.

Para um amigo especial.
Super beijinhos,
Hoho'n

10 comentários:

  1. haa eu vi isso antes de todos HAHAHAHAHA
    muito lindo e perfeito esse texto, e apesar de pessoas não entenderem, eu sei o que é, amigas contam coisas a amigas /((((: super beijinhos Hohon :D

    ResponderExcluir
  2. nada melhor que expressar oque você realmente sente em textos né amr ? Parabéns, por ter coragem e botar tudo pra fora

    ResponderExcluir
  3. Que lindo!
    E essa deve ser a amizade mais forte de todas *-*
    Beeijo

    ResponderExcluir
  4. Você escreve mto bem, achei lindo *-----------* acho que é bem o que acontece, tem gente que são só amigas, e se tentarem algo não daria certo. Eu estava com saudade daqui ^^

    ResponderExcluir
  5. Ñão precisa se entender os fatos, basta abosorver suas intensidades.

    Adorei o texto!

    beijo

    ResponderExcluir
  6. Aiai. Me diverti muito com o seu ultimo post. Eu não estou apaixonada, mas mesmo assim não percebi o número 8, acho que eu estou mais é com falta de atenção. rsrs

    bjss

    ResponderExcluir
  7. aai amiga, mto obrigada por me linkar *-----* qdo postar me avisa ok? \o/ bjo :*

    ResponderExcluir
  8. Esse texto ficou ótimo, sabia? Eu nunca me senti tão emocionada...É incrível ver como as coisas mudam, os sentimentos mudam! A gente muda a todo momento, mas quem realmente nos ama continua do nosso lado. É tão bom isso, né? Legal olhar para trás e se sentir bem, ao invés de ter vontade de chorar. Tudo que você escreveu foi lindo. Parabéns.

    ResponderExcluir
  9. Ah! muito lindo, você tem muita sorte de continuar amiga dele depois de tudo, esse tipo de amor me encanta *.*

    ResponderExcluir