agosto 08, 2010

Num momento á dois


Eu acordei bastante cedo, quase como seu tivesse caído da cama. Levantei e fui em direção ao banheiro lavar o rosto e escovar os dentes.
Fui para a sala e olhei pela janela. Estava amanhecendo. Eu podia ver o sol deixando de se esconder atrás das montanhas. O céu tinha tons de laranja e azul. Com toda a certeza não tem hora no dia que seja mais linda que o nascer do sol.
Não demorou muito para eu perceber que tinha companhia. Ele tinha acordado e foi em direção à cozinha, para preparar o café. Quando me viu, seu rosto se abriu num sorriso e ele disse um breve e gentil ‘bom dia’. Sentei-me à mesa, a luz do amanhecer entrava pela janela da cozinha. Enquanto fazia um café quente, forte e amargo, falava sobre diversas coisas para não ficarmos no silêncio. Ele falava enquanto eu fitava a toalha de mesa xadrez azul e branco, com um sorriso no rosto. Ele me divertia.
Senti o calor do café descer minha garganta. Ele sentou na minha frente na mesa enquanto eu elogiava o café. Ele sorriu. Eu sorri. Logo ele preencheu o silêncio com um de seus milhares de assuntos.
Ás vezes o que ele falava não fazia o menor sentido. Mas eu prestava atenção, mesmo assim. E sorria. A cada palavra que ele dirigia a mim. Era divertida sua necessidade de preencher o silêncio. Alegrava-me.
Quando ele terminou o seu café, foi se arrumar. Logo ele sairia para o trabalho. Fiquei na cozinha com a toalha de mesa xadrez, olhando em direção à porta do quarto, analisando a brecha deixada pela porta, que estava iluminada da luz acesa de lá de dentro. Ele saiu de lá, com uma mochila e celular em mãos. Ele estava de saída.
Ele me beijou na testa e disse um breve e sorridente ‘tchau’. Eu sorri apenas.
Escutei a chave destrancar a porta e a mesma se abrir. Antes que eu a escutasse se fechar novamente eu chamei:
- Pai! – e ele voltou, esperando pacientemente o que eu ia dizer – Eu te amo, ok? Vê se lembra disso. Sempre – e fui abraçá-lo.
Ele me deu um dos melhores abraços que ele pode me dar em 15 anos.
- Eu também te amo filha.

Feliz dia dos pais.
texto escrito no dia 01/07/2010
ps: texto baseado em fatos reais.

Super beijinhos,
Hoho'n

3 comentários:

  1. Oi!! Adorei o texto , muito lindo e cheio de sentimentos.
    Seu blog, é muito legal, vou participar da promoção, o que você escolheu 100 livros ou 1 Ipad??

    Bjss querida

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, seu pai deve ter orgulho de vc...
    Texto maravilhoso! Como eu queria receber abraços assim do meu, somos muito distantes para evitar intrigas, mas mesmo que ele não saiba demostrar o carinho que preciso, eu o amo mesmo assim ^^ Beijinho

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Muito linda a história. Aconteceu de verdade então?
    Amei.
    Beijos

    ResponderExcluir