novembro 14, 2010

Buraco Negro

 Sentia que precisava chorar, mas não havia lágrimas nem motivos para que eu o fizesse.
Então, formou-se aquele vazio, como um buraco negro que se forma após a explosão de uma estrela. Um buraco infinito no meio universo.
Só que agora aquele buraco super massivo se encontrava dentro do meu peito, sugando tudo ao seu redor sem dizer um “com licença”.
E não havia motivos.
Um buraco negro se forma da morte de uma estrela. Através de um colapso.
Colapso.
Talvez não seja pra tanto. Ou pra menos.
E era angustiante. Como quando você programa aquele dia de piscina esperando o sol e começa a chover.
Eu poderia dizer “um dia de mar, ou praia”, mas este eu nunca conheci.
Isso é triste.
E era tão estúpido. Eu não tinha motivos, nem lágrimas. Nem uma lágrima sequer, para aliviar aquela tensão interior, para tapar aquele buraco negro idiota que nascera dentro de mim.
Uma estrela em mim estava morta.
E deu lugar a um buraco negro.
Um buraco negro que suga minhas lágrimas e me enche de um vazio que tende ao infinito.
Ou ao que parece infinito.
E se jogasse o oceano inteiro dentro dele, ele transbordaria? Ele devolveria todas minhas lágrimas, para que EU pudesse também transbordar?
Ele o sugaria.
Sim, sugaria.
Sugaria meu universo tão fascinantemente idiota.


Novidades, novidades... somente eu estou anciando por novidades aqui no blog? rs

Super beijinhos,
Hoho'n

2 comentários:

  1. Quero novidades! HUSAHUSAHU
    Lindo o texto.
    Beeijo

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto.
    Cara, eu me sinto assim de vez em quando. E Horrível e angustiante, me sinto realmente em um buraco negro, não consigo encontrar uma saída. Sou aspirada pela tristeza e incertezas

    ResponderExcluir